Glossário Multimídia

AAC (Advanced Audio Coding)

Por causa da sua excepcional performance e qualidade, o AAC está no núcleo das especificações de formatos como MPEG-4, 3GPP e 3GPP2 e é o novo formato escolhido para Internet, wireless e aplicações de broadcast digital. Aac provê codificação de áudio que comprime mais eficientemente que os formatos antigos, como o MP3, e ainda sim com qualidade próxima a um CD Áudio não compactado.

AAC foi desenvolvido pelo grupo MPEG que inclui Dolby, Fraunhofer (FhG), AT&T, Sony e Nokia – companhias envolvidas no desenvolvimento de codecs de áudio como MP3 e AC3 (também conhecido como Dolby Digital.

Segundo a Apple Computer: – Um arquivo de áudio compactado com o AAC a 128Kbps (stereo) foi julgado por especialistas de áudio (Dolby Labs) como “indistinguível” da fonte original de áudio não-compactado; – Um AAC a 96Kbps normalmente excede a qualidade de um MP3 a 128Kbps.
AGREGADOR (RSS, Podcast)

Os agregadores são programas que organizam as informações que são vistas de forma final pelo usuário. Tais programas são receptores de RSS Feed e podcasts, sem a necessidade de acessar um website para poder recebê-lo. Por exemplo, o iTunes, player de música da Apple, possui – a partir da sua versão, 4.9 – o menu Podcast, no qual você pde inserir arquivos XML que direcionarão seu agregador até a distribuição de notícias do portal tal, ou o podcast da rádio tal. Alguns agregadores de RSS e podcast: • Mozilla Firefox – browser com capacidade de agregar RSS • Mozilla Thunderbird – programa de e-mail que também agrega RSS • Apple iTunes – Player multimídia que agrega podcasts • iPodder/Juice – agregador de podcasts
ARQUIVO DE MÚSICA DIGITAL

Um arquivo de música digital é um arquivo de computador que quando executado, permite que você ouça música no seu computador. Existe um grande número de diferentes formatos de arquivo de música digital. Os mais populares são AAC, MP3, Real Audio, WAV, WMA e MIDI.
ATRAC 3

Formato proprietário da Sony para download de música digital.
AUDIOBLOG

Um audioblog é um tipo de blog no qual o criador disponibiliza arquivos de áudio (músicas ou locuções) em formato MP3, para download. Os audioblogs estão se tornando muito populares no mundo todo desde o advento do podcast. Os audioblogs também fazem uso dos formatos de compressão de áudio AAC e Ogg Vorbis.
AUDIOBOOK

Um audiobook é a gravação do conteúdo de um livro impresso. É normalmente distribuído em CDs, fitas cassete e mais recentemente arquivos MP3 e podcasts. Audiobooks também podem vir em versões dramatizadas do livro impresso e algumas vezes incuem um elenco completo de vozes, trilha musical e efeitos sonoros.
BLOG

Um weblog ou blog é um registro publicado na Internet relativo a algum assunto organizado cronologicamente (como um histórico ou diário). O serviço mais conhecido a nível mundial é o Blogger . No Brasil são o Blogs.com.br , Blig , Blogger e o Weblogger Os sistemas de criação e edição de blogs são muito atrativos pelas facilidades que oferecem, pois dispensam o conhecimento de HTML, o que atrai pessoas a criá-los, em vez de suas páginas ou sites pessoais.
BLUE RAY (Laser Azul)

O formato Blue-Ray está sendo desenvolvido pelo grupo Blue-Ray Disc Founders, que compreende as seguintes empresas: Hitachi, LG, Matsushita, Pioneer, Philips, Samsung, Sharp, Sony e Thomson. Mitsubishi se juntou ao grupo em 2003, e Dell e HP em 2004.

Discos Blue-Ray oferecem capacidade de 25GB por camada graças a uma nova tecnologia baseada no Laser Azul que tem maior frequência de onda e maior resolução de leitura. Maior capacidade é necessária nos EUA e Japão para satisfazer os requerimentos da HDTV, que já disponível via cabo e satélite nesses mercados. O DVD melhorou a qualidade, comparado com o NTSC, mas não se compara com a qualidade da HDTV com até 1080 linhas de resolução.

Existem 2 diferentes formatos estão sendo desenvolvidos para satisfazer essas necessidades maiores de qualidade: Blue Ray Disc (BD) e o HD DVD, ambos usando o laser azul para leitura e gravação de dados.
BURN (queimar)

Quase todos os serviços de música digital oferecem a possibilidade de gravar faixas de áudio, que significa que você pode “queimar” CDs.
CHROMA, CHROMINANCE

A porção do sinal de vídeo que inclui a informação de cor. As informações de luminosidade ou intensidade são codificados em uma parte separada do sinal. O decoder vai combinar as informações de cor e intensidade e criar o Vermelho (R), Verde (G) e o Azul (B) que são necessários para definir a imagem.
CODEC

Coder/decoder; dispositivo ou software que codifica e decodifica informação digital. Um algoritmo que transforma dados de um formato para outro. No processo de streaming, codecs são usados para reduzir o tamanho da mídia bruta para que então possam ser transmitidos pela Internet, e para converter de volta os arquivos em áudio ou vídeo no destino.

Encoders de streaming usam codecs durante o processo de codificação para criar arquivos de mídia streaming, e players de mídia streaming usan codecs quando executam os arquivos de mídia streaming. O codec que foi usado para compactar o arquivo deverá ser o mesmo para descompactá-lo. Codecs podem ser de dois tipos principais: lossless (sem perda) codec, com o qual o original pode ser recriado com exatidão do arquivo compactado. E lossy (com perda) codecs, com o qual o arquivo descompactado é uma aproximação do arquivo original – o quão aproximado depende da taxa de compactação usada.

Muitos formatos familiares de arquivos usam codecs: JPEG, GIF, ZIP e outros. ZIP é um exemplo de lossless codec porque os arquivos originais podem ser recriados com exatidão. JPEG e GIF são exemplos de lossy codecs, porque são apenas aproximações da imagem original.
DIGITAL MUSIC PLAYER

Um player de música digital é um programa instalado no seu computador que permite que arquivos de música digital sejam executados e ouvidos. A maioria dos players de música digital podem ser baixados de graça pela Internet. Alguns exemplos são Windows Media Player, iTunes, WinAmp e MusicMatch.
DIVX

Tecnologia de sitribuição de vídeo baseada em MPEG-4 e MP3 áudio para download via Internet.
DRM – Digital Right Management (Gerenciamento de Direitos Digitais)

Encriptação via software para controlar a distribuição e uso de música de forma digital.
DTS

Digital Theater System, codificação de audio multi-channer usada em cinemas e também em discos de DVD.
DTS-HD

Uma versão melhorada da codificação do áudio DTS, que oferece lossy e lossless encoding de um número de canais quase ilimitado, com 16, 20 e 24 bits por amostra e 48, 96 e 192 KHz de frequência de amostragem. DTS-HD é usando para HD DVD-Video e BD-Video.
DVD

Começou como Digital Video Disc mas hoje se chama Digital Versatile Disc, ou apenas DVD. O Digital Versatile Disc é um disco de alta capacidade do tamanho de um CD comum, normalmente usado para armazenamento de vídeo, multimídia, games e áudio. A capacidade do DVD vai de 4.7GB a 17.1GB. As principais características do DVd são: – Compatibilidade com formatos anteriores como o CD. Todos os aparelhos que executam DVD também executam CDs e CD-ROMs; – Dimensões físicas idênticas ao CD mas usando duas partes de 0.6mm; – Opções de camada simples, camada dupla ou uma camada dupla de leitura; – Até 4.7GB de capacidade read-only por camada, 8.5GB máximos por lado; – Desenhado originalmente para distribuição de praticamente qualquer conteúdo multimídia, não só áudio, como o CD; – Todos os formatos usam um mesmo sistema de arquivos (UDF – Universal Disk Format); – Proteção padrão contra cópias, digital e analógica, para todas as aplicações; – Formatos graváveis e regraváveis (recordable e re-writable).

Alguns tipos de DVD:

DVD-Video – lançado em 1997 nos EUA, se tornou o mais bem sucedido formato de DVD e tem provado ser o veículo ideal para transporte de conteúdo de vídeo. DVD-ROM – está começando a subtituir o CD-ROM e orferece um novo formato de alta capacidade para a indústrica da informática. PCs já saem de fábrica equipados com drives de DVD-ROM em vez de CD-ROM. Além disso a indústria de de entretenimento também explora a capacidade de distribuição do DVD nos consoles de vídeogames, como o Playstation da Sony e o Xbox da Microsoft. DVD-Audio- lançado em 2000 está lentamente oferecendo á indústria musical um novo formato de distribução de áudio de altíssima qualidade, além da possibilidade de armazenamento de som surround e múltiplos canais. Gravável – formatos como DVD-RAM, DVD-RW e DVD-R estão sendo extensivamente usados atualmente na indústria da informática para backups de alta capacidade e velocidade de acesso. O DVD-ROM também tem incorporado equipamentos domésticos como gravadores (substituindo o videocassete) e câmeras de vídeo. Formatos híbridos – como o DVDPlus (também conhecido como ‘DualDisc’), que combina uma camada DVD com uma camada CD, tem sido introduzido no mercado e estima-se que se torne dominante a partir deste ano de 2005.
FEED

O termo Feed vem do verbo em inglês “alimentar”. Na internet, os “RSS feeds” são listas de atualização de conteúdo de um determinado site. Com um programa chamado “agregador de conteúdo”, você recebe as atualizações dos sites escolhidos, através dos feeds RSS, sem ter que visitá-los.
FRAME RATE

O número de quadros mostrados em um segundo de filme ou vídeo (sigla relacionada: FPS).
FPS

Frames Per Sacond; Filme são 24 FPS, NTSC 29.97 FPS, PAL/SECAM são 25 FPS.
HDTV

High Definition Television oferece imagem melhor com mais linhas, normalmente definida com 720 linhas, mas o máximo de capacidade é de 1080 linhas, entrelaçado ou progressivo.
IEEE

O Institute of Electrical and Electronics Engineers (Instituto de Engenharia Elétrica e Eletrônica) é a maior sociedade técnica profissional do mundo. Estabeleceu alguns dos mais importantes padrões eletrônicos para TV e rádio.

IEEE 1394 é uma porta externa que suporta taxas de transferência de dados de até 400Mbps (1394a) e 800Mbps (1394b). Produtos que usam 1394 são comercializados sob nomes diferentes dependendo do fabricante. A Apple, que originalmente desenvolveu a tecnologia, usa o nome FireWire. Outras companhias usam outros nomes como i.Link e Lynx.

Uma única porta 1394 pode ser usada para conectar até 63 dispositivos externos. Além da velocidade, o padrão 1394 também suporta “isochronous data” – transferindo dados a uma taxa garantida. Isso é ideal para dispositivos que precisam de altos níveis de transferência de dados em tempo real, como equipamentos de vídeo.

Além de rápido e flexível, o 1394 também suporta, assim como o USB, Plug-And-Play e hot plugging (habilidade de conectar e desconectar dispositivos enquanto o computador esta ligado e o sistema automaticamente reconhecer a mudança), e provê energia ao dispositivo.
iPod

Player de música digital da Apple Computer. Executa música nos formatos AAC e MP3.
iTunes

iTunes é um player (reprodutor) de áudio e vídeo desenvolvido pela Apple Computer, para reproduzir e organizar música digital, arquivos de vídeo, podcasts e para a compra de arquivos de música digital no formato gerenciador de direitos digitais FairPlay. A iTunes Music Store é o componente do iTunes pelo qual os usuários podem comprar arquivos de música digital dentro do próprio programa. O player vem ganhado e mantendo uma reputação por ser fácil de usar, ao mesmo tempo ainda permitindo que os usuários organizem suas músicas precisamente (com recursos como smart playlist, lista de reprodução inteligente). O iTunes também é usado para carregar canções para o player portátil da Apple, o iPod. O programa é grátis e pode ser baixado da Internet, além disso, acompanha o Mac OS X e a suíte de aplicativos domésticos iLife da Apple. O iTunes é compatível com computadores rodando os sistemas operacionais Mac OS X, Windows 2000, Windows XP e Windows Server 2003. Para baixar o iTunes clique aqui
MP3

O MPEG-2 Layer 3 é um padrão de compressão para áudio. Ele permite uma compressão de áudio de até 10 vezes dependendo do bit e sampling rate. O MP3 não é MPEG-3, mas sim a parte de áudio do MPEG-1, que é um padrão de compressão para áudio e vídeo.
MPEG

Moving Pictures Expert Group – definiu os formatos MPEG-1, MPEG-2 e MPEG-4: MPEG-1- padrão de codificação de vídeo originalmente criado para armazenagem em CD-ROM MPEG-2 – padrão de codificação de vídeo originalmente criado para broadcast de vídeo e armazenagem em DVD-Vídeo MPEG-4 – padrão de codificação de vídeo originalmente criado para distribuição pela Internet por permitir maior compressão e facilidade de transporte em redes com pouca largura de banda. Porém, hoje o MPEG-4 já oferece formatos de alta resolução como SD e HD Vídeo, animações e gráficos 2D e 3D, interatividade e scripting e é um dos codecs escolhidos para o HD DVD. A Apple usa uma variação do MPEG-4, o AAC, no seu serviço de música o iTunes.
MULTITRACK (multi-pista)

Multitrack recording (gravação multi-pista) é o método de gravação de áudio que permite que se grave múltiplas fontes de áudio separadamente para criar um inteiro coeso. Este é o método mais comum de gravação de música pop. Enquanto gravam, engenheiros e editores de áudio podem escolher qual pista ou pistas no dispositivo vão ser usadas para cada instrumento. Cada pista do dispositivo ou programa de gravação pode ser definida para gravar ou tocar a qualquer momento. Por exemplo um músico pode gravar na pista 2 e ouvir a pista 1 ao mesmo tempo, permitindo-lhe cantar ou tocar um dueto em harmonia com uma sequência pré-gravada na pista 1. As duas sequências podem então ser executadas sincronizadas como se tivessem sido gravadas juntas. Quando as gravações estiverem completas as muitas pistas serão mixadas e distribuídas num único arquivo de áudio.
NTSC

Padrão de sinal de vídeo analógico que o National Television Systems Committee (Comitê Nacional de Sistemas de Televisão) da Electronic Industries Association (EIA), e o governo dos EUA, prepararam para os EUA, Cadana, Japão, América Central, parte do Caribe e parte da América do Sul. Na década de 50, este pradrão foi originalmente criado com 525 linhas e 30 frames por segundo. O padrão foi mudado para 29.97 frames por segundo quando foi introduzida a cor no sinal. Esta modificação possibilitou a sincronização das cores no que hoje conhecemos como “composite vídeo signal”.
P2P – Peer to Peer

Uma tecnologia de transporte ou outro modo de transferir informação (arquivos de diversos formatos) de um computador para outro. Normalmente usado em redes de compartilhamentos de arquivos como Kazaa e Morpheus.
PAL (Phase Alternate Line)

Padrão europeu de broadcasting analógico de TV colorida com 625 linhas por frame e 25 frames por segundo. Este padrão não é compatível com NTSC apesar de ocuparem os mesmos canais de broadcast e serem gravados no mesmo tipo de videocassetes e fitas. Um conteúdo em PAL pode ser reproduzido através de equipamento padrão SECAM onde será visualizado em preto e branco. As placas de captura atuais entendem estes e vários outros formatos.
PODCAST/PODCASTING

O podcast é uma nova forma de publicar conteúdo na Internet e distribui-lo por meio de indices RSS. O termo podcast nasceu em 2001, inventado pelo ex-VJ da MTV americana Adam Curry, e descreve uma coleção de tecnologias para distribuição de conteúdo de áudio e vídeo usando o modelo publisher/subcriber, ou publicador/assinante. Isso significa que o usuário que quer receber o conteúdo, assina o canal de podcast uma única vez e recebe atualizações automáticas sempre que seu programa agregador de podcast for aberto.
QUICKTIME

Formato de vídeo desenvolvido pela Apple Computer normalmente usado para distribuição de arquivos pela Internet, é multi-plataforma e uma alternativa ao MPEG. Um player específico é necessário para sua execução tanto em PC quanto em Macintosh. O Quicktime também pode ser usado para distribuição de animações e áudio. Possui excelente relação compressão X qualidade visual, pode acomodar até 32 trilhas de áudio, MIDI e outras informações de controle.
REAL

A Real Networks iniciou suas atividades em 1995 criando formatos para distribuição de áudio e vídeo em streaming. Hoje possui uma gama completa de produtos e serviços para criação, gerenciamento e distribuição de mídia. Os formatos e softwares da Real são multi-plataforma. Atualmente a Real oferece formatos como o Real Audio e Real Video, além de servidores e clientes que distribuem e executam mais de 60 tipos de arquivos.
RIPPAR CDs

Você pode converter ou importar seu CD comprado para seu computador. A maioria dos softwares de música têm esta capacidade, permitindo ainda que você escolha o formato em que suas faixas de áudio serão armazenadas.
RSS (Real Simple Sindication)

Padrão definido pela W3C para agregamento de conteúdo. Serve como índice de alterações que ocorram em determinado site. Este sistema também é conhecido como Feeds. No arquivo RSS são incluídas informações como título, página (endereço exato de onde há algo novo), descrição da alteração, data, autor, etc… de todas as últimas atualizações do site ao qual ele está agregado. O RSS é um formato padronizado mundialmente, que funciona com linguagem XML (Extensible Markup Language), e é usado para compartilhar conteúdo Web. Ele permite, por exemplo, que o administrador de um site de notícias crie um arquivo XML com as últimas manchetes publicadas, a fim de compartilhá-las mais rapidamente com seus leitores. Este arquivo poderá ser lido através de qualquer ferramenta que seja capaz de entender o formato XML do RSS.
S-VIDEO

O Super Video transfere os sinais de video dividindo a informação em dois sinais: um para cor (chrominance), e o outro para a luminosidade. Esta é a alternativa de maior qualidade para o composite video, que transfere tanto a cor como a luminosidade num mesmo sinal. S-Video e Y/C Video tem o mesmo significado.
SECAM

“Sequential Couleur A Memoire” (sequential colour with memory). Formato de vídeo usado na França e Europa Oriental.
SVCD

Um formato de Video CD melhorado, que usa MPEG-2 de bit rate variável. Ele também inclui um canal de áudio estéreo adicional ou áudio multi-channel. O SVCD oferece qualidade de vídeo e recursos próximos ao DVD-Video, porém um filme inteiro requer 3 discos.
SURROUND SOUND

Áudio multi-channel provendo som bi-dimensional com o uso de caixas acústicas frontais e traseiras. Um exemplo típico são os canais 5.1 (usados em DVD), compreendendo 3 canais frontais, 2 traseiros e um canal para efeitos de baixa frequência.
TIME CODE

Código de referência de tempo quadro-a-quadro gravado em faixa extra da fita de vídeo. É um número de 8 dígitos codificando o tempo em horas, minutos, segundos e quadros (ex: 02:04:48:16).
VARIABLE BIT RATE

O Bit Rate varia com o tempo durante a decodificação de um fluxo compactado. Um exemplo é o MPEG-2 para DVD-Video onde o bit rate muda, conforme os requisitos de compressão, para manter a média. Codificação usando VBR oferece melhor qualidade que o bit rate constante (CBR) em baixas taxas de dados.
WINDOWS MEDIA

Inicialmente conhecido como o player de mídia da Microsoft, o Windows Media, mais tarde, se tornou sinônimo de padrão de compressão de áudio e vídeo. Diferente do MP3, os arquivos WMV e WMA podem armazenar informações valiosas como direitos autorais através de um sistema de Digital Rights Management (Gerenciamento Digital de Direitos). O Windows Media Player trabalha com as seguintes extensões: – WMV – Padrão do Windows Media que contem tanto áudio quanto vídeo; – WMA – Padrão que acomoda apenas áudio; – WVX – Metafile que contém marcações para os arquivos Windows Media Video (.WMV); – WAX – Metafile que contém marcações para os aqruicos Windows Media Áudio (.WMA); – ASF – Arquivo estruturado que contém áudio e vídeo comprimidos com codecs de terceiros; – ASX – Metafile que aponta para um arquivo estruturado ASF; – WMS – Arquivo Windows Media Skin, compativel com Windows Media Player 7 ou superior; – WMZ – Arquivo Windows Media Skin compactado; – WMD – Pacote Windows Media Download, compativel com Windows Media Player 7 ou superior.
WMV HD

Microsoft Windows Media Video High Definition, uma nova e eficiente tecnologia de codificação de vídeo. É um dos codecs de vídeo escolhidos para o HD DVD (veja www.wmvhd.com).
XML

XML (eXtensible Markup Language) é uma recomendação da W3C para gerar linguagens de marcação para necessidades especiais. XML é um subtipo de SGML (Standard Generalized Markup Language – Linguagem Padronizada de Marcação Generica) capaz de descrever diversos tipos de dados. Seu propósito principal é a facilidade de compartilhamento de informações através da Internet. Linguagens baseadas em XML: RDF, RSS, SMIL, MathML, NCL, XSIL e SVG.